Observação de animal suspeito de raiva

Exame/observação, no Centro de Recolha Oficial de Animais, de animal suspeito de ser portador de doença infeto-contagiosa.

 

Efetuar o pedido

Para realizar o seu pedido contacte a Linha Porto., através do número (+351) 220 100 220 ou o Centro de Recolha Oficial de Animais, através do número (+351) 228 349 490.


 

1. Submissão do pedido

2. Verificação dos elementos/documentos instrutórios, pelos serviços municipais (se aplicável)

3. Análise do pedido pelos serviços municipais

4. Observação de animal suspeito

Prazo mínimo de antecedência do pedido: não aplicável

Tempo médio de resposta (*): 15 dias

 

(*) O tempo médio de resposta definido diz respeito ao tempo de tratamento de um pedido devidamente instruído, cumpridor de todos os requisitos de deferimento.

Caso se opte por manter o animal sob observação, em casa, deverá entregar, no Centro de Recolha Oficial de Animais, uma declaração emitida por um veterinário, em que este assuma a responsabilidade pela vigilância sanitária do animal, por um período de 15 dias. Nestas situações, deverá o veterinário comunicar, no final deste período, o estado do animal vigiado.

Centro de Recolha Oficial de Animais

Travessa das Águas Férreas de Campanhã, 4000-015 Porto
(junto ao Viveiro Municipal do Porto, sito à Rua das Areias, Campanhã)

Telefone: (+351) 228 349 490

Fax: (+351) 228 349 499

E-mail: sprcanil@cm-porto.pt

Horário de atendimento (secretária):
2.ª a 6.ª feira: das 9h00 às 16h00
 
Horário para visita aos animais alojados (adoção):
2.ª a 6ª feira: das 9h30 às 15h30
Sábado: das 10h00 às 16h00
 
Horário para procedimento de vacinação antirrábica:
2.ª a 6ª feira: das 9h30 às 11h00

Funcionamento do CROA  durante a situação de risco epidemiológico

Horário de atendimento
2.ª a 6.ª feira: das 9h00 às 12h00 ou das 14h00 às 16h00 

Horário para visita aos animais alojados (adoção)
2.ª a 6.ª feira: das 13h30 às 15h30  
Nota: A campanha de vacinação encontra-se suspensa pela DGAV.

Código Regulamentar do Município do Porto

Decreto-Lei n.º 315/2009, de 29 de Outubro determina o destino dos animais agressores e as regas a cumprir no seu meio de detenção.

Decreto-Lei n.º 314/2003

Portaria n.º 264/2013

Despacho n.º 6756/2012

Última atualização: 13 Março, 2021.